Não chame sua Empresa de "Startup"

Em mercados emergentes não se pode dar ao luxo de não saber jogar com os GRANDES, Médios e até mesmo os pequenos.

É verdade que a concorrência não é feroz, mas se desde o início sua visão é criar algo enorme que impacta a vida das pessoas, deve-se querer almejar um padrão de qualidade global.

Neste mês, Abril, nossa Startup Empresa reuniu com empresas GRANDES de forma a melhorarmos os seus serviços locais com tecnologia e inovação no nosso mercado.

Reuniões presenciais com até 12 profissionais de departamentos diferentes (comercial, técnico, gestão…) em uma sala enorme, em que do nosso lado estava, um técnico e um colaborador de operações apenas.

Ao começar uma Empresa, não importa que se chame de Startup ou não, mas não chame, dependendo do modelo de negócios e estratégia, você se verá no interesse de trabalhar com várias partes externas ou estas mesmas partes irão contatar-te para trabalhar conjuntamente de forma a melhor os seus serviços e com benefícios para ambos.

Não tem como escapar da afirmação acima se tiver a dar os passos certos. Estes encontros normalmente são antecididos por várias trocas de e-mails, contato telefónico, pesquisa posicional da sua Startup empresa, etc…, então antes mesmo de contatar ou aceitar um compromisso, exercite sua abordagem em todos aspetos.

A nossa vantagem desde o início é definir um padrão global de qualidade de produto. A imagem e a consistência da marca ao posicionar-se online entre outros fatores de background dos nossos colaboradores que ajudam muito.

As coisas começam a complicar-se presencialmente na troca de ideias, interesses e os termos sob os quais trabalhar em conjunto. No caso da Kamba somos completamente transparentes, isso faz com que percamos muitas oportunidades mas também com que trabalhemos melhor a longo termo.

Mas mesmo em caso de sucesso, trabalhar com outras empresas GRANDES no nosso mercado é uma dor de cabeça.

Estas empresas são grandes e possuem diversos processos. Seus funcionários desde o alto escalão ao mais baixo, como um guarda na porta (sem ser ofensivo), possuem egos (uau!…). O que chamo, herança cultural do BOSS. Mesmo com parceria firmada, muitas empresas possuem a parte tecnológica terceirizada, e estes colaboradores ou funcionários ou empresas parceiras não recebem a mensagem de parceria da mesma forma.

Há sempre burocracias, tornar a vida cara para outros empreendedores, e no final aguarda-se sempre uma bonificação (GASOSA), algo que vai contra nossa cultura e transparência como empresa jovem no geral. Este género de comportamentos serão sempre descartados ao primeiro sinal.

É importante jogar e começar a posicionar-se de forma grande também. Um ótimo padrão de qualidade ajuda para empresas sem muito capital. Apostar no que sua empresa faz de melhor.

Nossas reuniões com ZAP,EMIS, ENDE, etc… para integração de serviços e 25 estabelecimentos físicos/e-commerces na fila de espera por um meio de pagamento encaminharam-se de forma positiva.

Agora há muito trabalho pela frente. Mas nós insistimos em focar na WALLET por agora.

Mas então porque não devo me chamar de Startup?

O termo é recente no nosso mercado e prejudica no nível de seriedade em relação as empresas grandes. Pergunte ao diretor executivo dessas empresas o que é uma Startup? Oportunidade difícil?! Pergunte para o seu pai, hoje enquanto assistem ao telejornal.

Pai, o que é uma Startup?

Apesar do termo mistificar essa onda cool e whatever, e sermos fortemente influenciados por mercados avançados nesse sentido, quando você se relaciona com empresas externas e ao criar um plano estratégico de longo termo, vários fatores começam a fazer parte desse conjunto e a pesar nessa decisão. Mas isso é algo que você só poderá descobrir sujando as mãos.

Ter uma Empresa é difícil e muito chato. Se você está a iniciar uma Startup empresa e sua mente não se eleva aos limites e ao peso de várias preocupações, pergunte-se se você não está apenas em um hobbie e procure emprego logo logo. Emprego, dá dinheiro todo mês e não precisa-se pensar muito (dependendo do cargo) e possuir uma visão sobre o destino que se pretende percorrer, nem de responsabilizar-se por pessoas (dependendo do nível cultural da empresa).

As nossas empresas grandes ainda não estão cunhadas com o termo Startup, e empresas médias também, quiça pequenas também?

Com a mentalidade e educação se abrindo para o mercado agora, as pessoas começam a estar mais informadas, mas ainda assim, devido o número de desenvolvedores independentes se chamarem startups, aplicativos, o Miguel no quarto (empresas grandes vieram de uma garagem também, mas mas?…) a verdade é que Startups não são enxergadas com respeito a nível de valor de agregação e colaboração para crescimento de negócios.

Chamar a sua empresa de Startup poderá mudar o destino de uma reunião por exemplo. Voltar a chamar de empresa poderá abafar o que se disse anteriormente e direcionar a mesma reunião para um final benéfico.

“Fake It Till You Make It.” (???)

As empresas grandes já possuem valor na REDE. Negócios muitas das vezes se resumem em o quanto você pode impressionar pela primeira vez e no seu background. Se você impressionar pequeno o que acontece? Seja transparente mas sempre reveja o lado cultural da sua empresa.

Não entre em contratos só porque a oportunidade parece enorme mas que no final irá diluir o valor da sua empresa.

Há um risco enorme de não se possuir o capital necessário, seu time possuir uma remuneração inadequada (ou quase alguma), exigências de trabalho pesadas com padrão de qualidade que se requer globalmente, e um plano ainda que a longo termo, mas sustentável, mas o que é mais importante em tudo isso? A iniciativa.

Estas reuniões começam com apresentação e interesses colocados na mesa, excluso dizer que startups se verão em muita desvantangem no início, então foque no que você faz de melhor, no agora.

Qual o seu cenário atual? Pontos fortes, limitações, ameaças, portunidades, aprofunde mais em análise SWOT (comece com cenários pequenos e atingíveis e use a seu favor).

Foque nos benefícios, se não há, essa colaboração é vaidosa, apenas para exposição. Sempre deve haver algo. Alinhe estratégias e coloque na mesa com um programa de ação.

Lembra do investidor que não investe em idéias mas em equipas?

Conheça seus objetivos

Antes de começar a abordar empresas, considere a necessidade. O que você está procurando?

É fundamental que você seja claro sobre expectativas e resultados.

Nunca escolha uma empresa só porque é grande ou famosa. Faça sua pesquisa e certifique-se de que os valores da sua empresa e objetivos estejam alinhados.

Domine sua área de atuação

As vezes é necessário levar tempo construindo meio império antes. Talvez uma compra irá sobrepor a parceria que você desejava o ano passado? Exits exits exits.

Empresas já consolidadas recebem várias ofertas de parceria. Concentre-se na sua comunicação, seja conciso e rápido para destacar o que pode agregar valor aos seus negócios.

Lembre-se de não subestimar o tamanho da sua empresa porque a outra é enorme. Em última instância, você é um líder em seu campo de atuação, então você deve estar confiante no trabalho que você faz.

A palavra chave aqui é maturidade. Entender de fato que a Startup é um negócio.

Give me the NUMBERS

Cheap talk! Não existe conceito certo ou errado. Startup é um negócio tanto como Empresa. Clientes importam mais do que nunca, lucros fazem-nos saltar, custos no colocam na linha vermelha e gestão nos mantém.

O problema é a mentalidade de como o termo está a ser enxergado em nosso mercado. Brainstorming enormes, modelos de negócios, eventos atrás de eventos, comunidade, mentoria, programas; sim, tudo isso possui valor, mas sem efetivamente trabalhar em clientes e ganhos, custos, gestão, possuir estratégias exatas, sistemas, processos, aprender ao sujar as mãos, bom você pode continuar a se chamar the cool startup.

Todo mundo é averso a riscos, mas alguns sabem gerir de melhor forma e arcar com as consequências. No final ganham ou pelo menos aprendem, aprendem até um dia ganhar. Pense em quantas pessoas são bem sucedidas hoje em dia e como foram antes.

Não vá longe. Comece por perguntar para seus familiares.

Estude e analise seus fracassos e erros. As empresas grandes normalmente possuem um Ego de tudo que já atingiram mas um dia também foram pequenas.

Considerações finais…

A influência do termo em outros mercados não deve nos desviar do nosso foco e distrair-nos do fato de que somos uma empresa resolvendo um problema. Clientes e lucros, custos e gestão são coisas reais.

Chame seu negócio de Startup ou não, isto é menos importante do que um modelo de negócios que funciona, impacta sua comunidade, gera lucros, atende, ajuda e beneficia clientes.

Lembre-se, sua empresa é pequena mas sua mente não.

Gostou do artigo? Então opine nos comentários!

Amarildo é Cientista da Computação. Sua missão é revolucionar, impulsionar e democratizar os serviços financeiros e de meio de pagamentos; fornecendo acesso à experiências inovadoras e descomplicar a aquisição de serviços e bens de consumo através da internet em Angola.

Baixe o aplicativo Kamba Pagamento sem CARTÃO na Internet na Google Play Store.